terça-feira, 8 de janeiro de 2008

Do alto do meu farol...

Nos primeiros dias do ano procura-se a praia para passear, visitar o amigo mar que não se vê desde o "ano passado"... Também eu fui até a praia da Barra, num dia de neblina, mas de uma serenidade própria de um dia de Inverno.
Deparei-me, mais uma vez, com as gaivotas, as "banhistas" de todo o ano, as companheiras das ondas, as habitantes fieis das dunas... Mas uma chamou-me deveras à atenção, quase que poderia dizer que seria a "patroa" de todas as outras, a "rainha" do bando ou simplesmente a guarda da praia... Ela ali estava de forma majestática no cimo do seu farol...

Do alto do meu farol,

Vejo o molho sul e o norte,

Estou mais perto do Sol,

Sinto o vento fraco e o forte...

Do alto do meu farol,

Como é lindo ver o mar

Ouvir um rouxinol

E a maresia inalar...


Do alto do meu farol

A sonhar peço um desejo,

Num radiante pôr-do-sol

Ir à Barra dar-lhe um beijo!

Poema inédito. Créditos: Gaivota da Revessa.

2 comentários:

Isabel Matos disse...

Gostei imenso deste poema a tua veia poética está muito bem relacionada com a foto que acompanha todo este bonito texto.
Parabéns!
Continua sempre a voar alto com a tua gaivota!

Anónimo disse...

Esse poema deixa qualquer farol relusente e demonstra o seu sucesso em ser poeta.

siga sempre nesse ritmo poetiza !

Dinho Santos

Bahia-Brasil


Visitas a este Blog